Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O chanceler mexicano Luis Videgaray em Cancún, México, no dia 21 de junho de 2017

(afp_tickers)

O chanceler mexicano, Luis Videgaray, desprezou, nesta quarta-feira, a última ameaça feita pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de abandonar o Nafta, e assegurou que isso é só uma outra mostra de sua forma "peculiar" de negociação.

"O presidente Trump está negociando. É um negociador com um estilo particular, conhecido, inclusive publicou livros sobre isso, e o que está fazendo é negociar", garantiu Videgaray à emissora Televisa.

Diante das constantes advertências de Trump, o México vai reagir com tranquilidade e continuar na mesa de renegociação do Tratado de Livre Comércio da América do Norte (Nafta), afirmou.

"O papel do México é reagir com serenidade, firmeza, clareza dos objetivos e com o interesse nacional à frente", declarou.

Trump advertiu, nesta terça-feira, em um discurso em Phoenix, Arizona, que é possível que o Nafta acabe.

"Pessoalmente, não acredito que possamos chegar a um acordo com México e Canadá, porque eles se aproveitaram de nós de tal maneira que não creio que chegaremos a um acordo", disse Trump.

Não é a primeira vez que Trump faz ameaças ao Nafta e, enquanto durar a renegociação, "haverá tuítes, haverá discursos desse tipo", garantiu Videgaray.

Suas declarações não são "algo que deva nos surpreender, são algo que devemos antecipar", concluiu o chanceler mexicano.

Luis Videgaray foi o arquiteto da polêmica reunião que tiveram, em 31 de agosto de 2016, na capital mexicana, o presidente Enrique Peña Nieto com o então candidato Trump.

A segunda rodada de negociações do Nafta acontecerá na Cidade do México entre 1 e 5 de setembro.

O Nafta, que aboliu as fronteiras aduaneiras entre os três países, é crucial para a economia mexicana, que destina 80% de suas exportações para os Estados Unidos, mas é considerado "desastroso" por Trump.

O governo do México busca, na renegociação, ampliar a relação comercial e tornar a região da América do Norte mais competitiva frente a Europa e Ásia.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP