Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, em Caracas, no dia 5 de julho de 2016

(afp_tickers)

O governo venezuelano interpôs 400 recursos legais contra as assinaturas apresentadas pela oposição para um referendo revogatório do mandato do presidente Nicolás Maduro.

As ações incluem denúncias e processos por "usurpação de identidade", apresentadas à Promotoria em diversos estados, disse nesta quarta-feira (6) Jorge Rodríguez, delegado por Maduro para monitorar o processo que busca tirá-lo do poder.

"Mais de 400 denúncias e processos foram colocados diante da Promotoria. Serão contados em milhares os processos de cidadãos contra essa gigantesca fraude que foi perpetrada", declarou o porta-voz à imprensa.

Rodríguez assinalou que as acusações são por "usurpação de identidade, pois segundo ele a coalizão opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD) entregou assinaturas de pessoas falecidas, menores de idade e condenados.

O Conselho Nacional Eleitoral (CNE) deverá anunciar em 26 de julho se a MUD conseguiu validar as 200.000 assinaturas para ativar o revogatório, que segundo Maduro é impossível ser realizado em 2016, pois a oposição começou a tramitar muito tarde.

Cumprindo esse requisito, a MUD terá que recolher quatro milhões de assinaturas para que o CNE convoque os eleitores às urnas.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP