Navigation

Chefe de gabinete de Guaidó seguirá na prisão

Joel Garcia, advogado de Roberto Marrero, em 25 de março de 2018, em Caracas. afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 29. março 2019 - 04:57
(AFP)

Roberto Marrero, chefe de gabinete do líder parlamentar venezuelano Juan Guaidó, continuará na prisão por determinação da Justiça, após uma audiência nesta quinta-feira.

Detido em 21 de março por agentes de Inteligência, Marrero "vai permanecer privado de sua liberdade" durante o processo de obtenção de provas, disse à imprensa o advogado Joel García, após audiência no Palácio da Justiça, em Caracas.

Marrero foi denunciado pelos crimes de "conspiração, legitimação de capitais, associação criminosa e ocultamento de armas e explosivos", segundo García.

O processo de recolhimento de provas tem o prazo de 45 dias.

Marrero foi acusado pelo governo de Nicolás Maduro de "organizar" uma operação para que mercenários contratados em El Salvador, Guatemala e Honduras cometessem "assassinatos seletivos" e "sabotagens" nos serviços públicos no território venezuelano.

Maduro denunciou ainda que Guaidó, reconhecido como presidente interino da Venezuela por mais de 50 países, planejava um complô para assassiná-lo.

Mais cedo, a Controladoria Geral da Venezuela inabilitou Guaidó de exercer "qualquer cargo público" pelo prazo de 15 anos.

A Controladoria alega que em suas declarações patrimoniais, Guaidó não justifica gastos feitos no país e no exterior, com recursos supostamente vindos do exterior.

Na véspera, Guaidó convocou protestos para o próximo sábado pelos grandes apagões que atingem o país desde o dia 7 de março.

Em resposta, Maduro pediu "uma grande mobilização em todo o país" contra o que qualifica um "novo ataque criminoso ao sistema elétrico".

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.