Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O chefe do Estado-Maior da Guatemala, general Rudy Ortiz, um dos quatro militares que morreram nesta quarta-feira na queda do helicóptero em que viajavam.

(afp_tickers)

O chefe do Estado-Maior da Guatemala, general Rudy Ortiz, e outros quatro militares morreram nesta quarta-feira na queda do helicóptero em que viajavam, informou o governo local, acrescentando que essa é uma área de operação do narcotráfico.

A aeronave caiu perto da fronteira com o México, em uma zona montanhosa do município de Nentón, no departamento de Huehuetenango, cerca de 400 km ao noroeste da capital.

O ministro guatemalteco da Defesa, general Manuel López, lamentou o episódio. Segundo ele, os militares faziam uma inspeção de rotina em uma região usada por traficantes de drogas e com alta incidência de conflitos sociais, devido a projetos de hidrelétricas e mineração.

As outras vítimas fatais são o comandante da Quinta Brigada com sede em Huehuetenango, general Braulio René Mayén, e os coronéis Juan de Dios López, Rony Anleu e Raymundo Donis.

O ministro explicou que o helicóptero não conseguiu aterrissar em uma base militar da região, em função das condições climáticas difíceis, e se dirigiu para outra instalação. "Foi quando caiu, mas não se conhecem as causas da tragédia", completou.

Socorristas trabalham no resgate dos corpos em uma área de difícil acesso.

AFP