Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) O chanceler chileno, Heraldo Muñoz

(afp_tickers)

O Chile está disposto a restabelecer de imediato relações diplomáticas plenas com a Bolívia - em nível consular desde 1978 ante a falta de solução para a demanda marítima boliviana -, afirmou o chanceler do país, Heraldo Muñoz.

"O Chile está disponível para restabelecer relações diplomáticas de imediato, se existir vontade política", disse Muñoz em entrevista à rádio Cooperativa.

Os dois países mantêm uma relação complicada desde que a Bolívia perdeu as costas marítimas em uma guerra com o Chile no fim do século XIX. Depois, as relações diplomáticas foram interrompidas em 1964 e em 1978, desta última vez após o fracasso de uma negociação para o tema entre os ditadores Hugo Banzer (Bolívia) e Augusto Pinochet (Chile).

"Sempre estivemos disponíveis, mas quero recordar porque foi a Bolívia que rompeu relações diplomáticas", disse Muñoz, ao descartar uma proposta formal a La Paz.

"Que o diga publicamente é uma exposição suficientemente clara e sem condições", completou o chefe da diplomacia chilena.

A Bolívia apresentou uma demanda à Corte Internacional de Justiça (CIJ) de Haia em 2013 para obrigar o Chile a negociar uma saída soberana ao mar.

La Paz considera que para restabelecer as relações com Santiago, primeiro é necessário resolver a demanda marítima.

O Chile apresentou uma objeção à competência da CIJ por considerar que as consequências da guerra com a Bolívia foram solucionadas em um tratado assinado em 1904. O tribunal deve se pronunciar a respeito no fim do ano.

AFP