Navigation

Chile irá pela primeira vez a reunião do G7 na França

O presidente francês Emmanuel Macron (C) e sua esposa Brigitte Macron (E) recebem o presidente chileno, Sebastián Piñera, no Palácio do Eliseu, em 8 de outubro de 2018, em Paris afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 27. maio 2019 - 21:33
(AFP)

O Chile foi convidado pela primeira vez a participar de uma reunião do G7, o grupo de países com as maiores economias do planeta, em agosto, na cidade francesa de Biarritz.

O presidente chileno, Sebastián Piñera, recebeu um convite do mandatário francês, Emmanuel Macron, líder pro-tempore do G7 que liderará a cúpula entre 24 e 26 de agosto, informou o governo chileno em um comunicado.

"Será a primeira vez na história que um mandatário chileno participará desse fórum que reúne os líderes de Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido", afirma a nota.

Criado em 1973, o G7 atualmente representa 64% da riqueza global, abordará na reunião medidas para reforçar o respeito da democracia, os direitos humanos e as liberdades fundamentais, a redução das desigualdades, além de promover o livre-mercado e o respeito pela institucionalidade e pelas leis, conclui a nota.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.