Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) A polícia chinesa anunciou a detenção de 230 pessoas no sul do país em uma investigação sobre uma fraude em um esquema de pirâmide, supostamente realizada em uma plataforma on-line de investimentos

(afp_tickers)

A polícia chinesa anunciou a detenção de 230 pessoas no sul do país em uma investigação sobre uma fraude em um esquema de pirâmide, supostamente realizada em uma plataforma on-line de investimentos.

A investigação envolve 55 empresas e 142 pessoas das 230 detidas serão objetos de processos penais, anunciou a polícia da província de Guangdong (sul da China).

A polícia informou que exerceu uma "forte pressão" contra a plataforma de investimentos Shanxinhui, ou "intercâmbio filantrópico", com sede em Guangdong.

Na semana passada, centenas de pessoas defenderam a plataforma em Pequim. Sessenta e três manifestantes foram detidos por "atentar contra a ordem social" e quatro por "perturbar a ordem pública".

Zhang Tianming, fundador da plataforma Shanxinhui, e vários de seus funcionários foram detidos em 21 de julho, sob a suspeita de retirar de maneira fraudulenta "enormes quantias" de suas vítimas sob o pretexto "de ajuda às pessoas necessitadas".

O site da Shanxinhui não está mais acessível. Uma versão salva da página descreve a plataforma como uma empresa de investimentos que promove causas como o reflorestamento e a luta contra a pobreza.

No momento em que Pequim proíbe drasticamente os fluxos de capitais fora da China e quando o mercado imobiliário do país se encontra em desaceleração, o financiamento on-line e suas promessas de investimentos rentáveis está em pleno auge, o que favorece o desenvolvimento de fraudes do tipo pirâmide.

A polícia investigou 2.826 casos de sistemas de fraudes de pirâmide em 2016, 20% a mais que no ano anterior, segundo o governo.

AFP