Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Cinquenta e nove "terroristas" e 37 civis morreram nos confrontos de segunda-feira passada em Xinjiang, província muçulmana do noroeste da China, anunciou neste sábado a agência de notícias oficial Xinhua.

(afp_tickers)

Cinquenta e nove "terroristas" e 37 civis morreram nos confrontos de segunda-feira passada em Xinjiang, província muçulmana do noroeste da China, anunciou neste sábado a agência de notícias oficial Xinhua.

Treze civis ficaram feridos e 215 "terroristas" foram presos após esses enfrentamentos em que homens "armados com facas" atacaram uma delegacia e outros prédios oficiais no distrito de Shache - ou Yarkand em uigur, idioma da principal etnia da região-, acrescentou a agência.

Já um grupo de defesa dos uigures indicou "cem mortos e feridos".

Na sexta, quatro dias depois dos incidentes, a polícia matou nove pessoas, suspeitas de terrorismo, na região de Hotan, em Xinjiang.

Na quarta, o imã da maior mesquita da China foi assassinado em Kachgar, na mesma província. Um dos suspeitos foi morto pela polícia.

AFP