Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O animal é uma iguaria apreciada por sua textura, e é frequentemente servido fatiado e marinado em uma mistura de vinagre, sal e açúcar

(afp_tickers)

Um novo ingrediente entrou na longa lista de produtos alimentícios adulterados da China, após a apreensão pela polícia de mais de uma tonelada de água-viva "artificial".

O animal é uma iguaria apreciada por sua textura, e é frequentemente servido fatiado e marinado em uma mistura de vinagre, sal e açúcar.

O carregamento de medusa falsificada, fabricada a partir de produtos químicos, foi encontrado em um mercado de Huzhou, na província costeira de Zhejiang (leste), informou o governo local em seu site.

Os fornecedores, originários da província de Jiangsu (leste), já haviam descarregado mais de 10 toneladas de carga antes de serem detidos, e embolsado mais de 170.000 yuans (23.000 euros), segundo a mesma fonte.

Seis suspeitos foram presos e a investigação continua, anunciaram as autoridades locais.

Estas medusas adulteradas apresentavam níveis elevados de alumínio, um elemento cujo consumo prolongado pode afetar os ossos e nervos, e levar à perda de memória e um declínio na capacidade mental.

A China, onde algumas empresas - às vezes com a cumplicidade de autoridades corruptas - ignoram as normas por ganância, é regularmente confrontada a escândalos alimentares: óleo de cozinha reciclado, álcool de Viagra, ravioli com inseticida...

O caso mais contundente foi o de leite contaminado com melamina que, em 2008, matou seis crianças e adoeceu outras 300.000.

Dois agricultores foram executados, mas a imprensa chinesa indicou em 2014 que muitas autoridades sancionadas ou demitidas após o escândalo, incluindo o chefe da autoridade de supervisão de produtos farmacêuticos e alimentares Li Changjiang, foram nomeadas a outros postos, ou até promovidas.

AFP