Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Foguete Longa Marcha-4B decola do Centro de Lançamento de Satélites Jiuquan, no deserto de Gobi, no noroeste da China, em 15 de junho de 2017

(afp_tickers)

A China anunciou o "fracasso" de um missão espacial para pôr um satélite de comunicação em órbita, pouco depois da decolagem de seu foguete Longa Marcha 5 Y2 neste domingo (2).

Com capacidade para transportar até 25 toneladas, o foguete decolou às 19h23 (8h23, horário de Brasília) do centro espacial de Wenchang, na ilha meridional de Hainan, segundo imagens transmitidas ao vivo pela agência de notícias Nova China na Internet.

Longa Marcha 5 Y2 leva a bordo o satélite de comunicação experimental Shijian-18 (7,5 toneladas).

"Várias anomalias aconteceram na pilotagem do foguete, e a missão de lançamento fracassou", informou a agência Nova China, pouco depois das 12h GMT (9h, horário de Brasília), acrescentando que será feita uma investigação para analisar os motivos da falha.

De acordo com a imprensa oficial, o objetivo desse satélite é melhorar o acesso à Internet e a recepção de canais de televisão no território chinês.

Em novembro de 2016, dessa mesma base espacial, Pequim fez decolar seu primeiro foguete Longa Marcha 5, então apresentado como o mais potente lançador da história da China.

AFP