Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-Un, visto em uma imagem de televisão em Seul, em 15 de agosto de 2017

(afp_tickers)

A China condenou nesta sexta-feira o mais recente lançamento de míssil da Coreia do Norte, que sobrevoou o Japão, e pediu "moderação" às partes envolvidas no atual conflito com o regime de Kim Jong-Un.

"Pequim se opõe à violação pela Coreia do Norte das resoluções do Conselho de Segurança (da ONU) e a seu uso de tecnologia de mísseis balísticos para disparos", declarou a porta-voz do ministério chinês das Relações Exteriores, Hua Chunying, que pediu às "partes envolvidas que atuem com moderação".

Um pouco antes, o secretário-geral da Otan, Jean Stoltenberg, pediu "uma resposta mundial".

"O disparo de míssil da Coreia do Norte é outra violação temerária das resoluções da ONU que proíbem a Pyongyang o desenvolvimento de armas balísticas e nucleares", escreveu Stoltenberg no Twitter.

Esta "importante ameaça contra a paz e a segurança internacional pede uma resposta mundial", completou.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP