Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Fronteira entre China e Coreia do Norte

(afp_tickers)

A China denunciou nesta quinta-feira os pedidos para aumentar as sanções contra Pyongyang após o lançamento de um míssil que sobrevoou o Japão, atribuindo um "papel destrutivo" a alguns países.

"Alguns países ignoram de forma seletiva as exigências de diálogo e falam apenas de sanções contra a Coreia do Norte", afirmou Hua Chunying, porta-voz do ministério chinês das Relações Exteriores, em uma aparente referência a Estados Unidos e Japão.

"Suas ações e suas palavras desempenham um papel destrutivo, ao invés de um papel construtivo para resolver o problema nuclear norte-coreano, o que prejudica os esforços para retomar as negociações com Pyongyang", completou.

O lançamento esta semana de um míssil Hwasong-12 de alcance médio, que sobrevoou o Japão, representa uma nova escalada na crise, um mês depois da Coreia do Norte ter disparado dois mísseis balísticos intercontinentais (ICBM) que poderiam atingir boa parte do continente americano.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP