Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(16 set) O líder norte-coreano, Kim Jong-Un, durante inspeção na plataforma de lançamento de um Hwasong-12, em local não divulgado

(afp_tickers)

Os ministros das Relações Exteriores da China e da Rússia pediram uma "resolução pacífica" sobre o "círculo vicioso" norte-coreano, anunciou Pequim nesta terça-feira, após uma reunião entre os dois chanceleres em Nova York paralelamente à Assembleia Geral da ONU.

O chanceler chinês, Wang Yi, e seu colega russo, Serguei Lavrov, pediram a todas as partes uma "resolução pacífica" para a tensão que cerca os programas nuclear e balístico do regime de Pyongyang, afirma um comunicado divulgado pelo ministério.

"A questão nuclear na península coreana deve ser resolvida de maneira pacífica", afirmou Wang, citado no comunicado. "O profundo círculo vicioso atual deve ser quebrado", insistiu.

Lavrov declarou que a posição da Rússia no tema é "idêntica" à postura chinesa, segundo o comunicado.

Moscou se uniu ao apelo de Pequim por uma solução conveniente para as duas partes, com a suspensão dos programas nuclear e balístico por parte da Coreia do Norte, assim como o fim das manobras militares dos Estados Unidos na região.

O pedido foi feito depois da Casa Branca ter informado na segunda-feira que o presidente Donald Trump e seu colega chinês, Xi Jinping, se comprometeram em uma conversa por telefone a "maximizar a pressão sobre a Coreia do Norte, com a aplicação vigorosa das resoluções do Conselho de Segurança da ONU.

Trump está em Nova York para a Assembleia Geral da ONU, que este ano não terá a presença de Xi Jinping.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP