Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Ministro chinês das Relações Exteriores, Wang Yi

(afp_tickers)

A China elogiou nesta quinta-feira (3) as recentes declarações do secretário de Estado americano, Rex Tillerson, que assegurou que os Estados Unidos não tentam derrubar o governo de Kim Jong-Un na Coreia do Norte, após uma semana de tensão a respeito do programa armamentista norte-coreano.

"Ressaltamos a importância dessas declarações", frisou o ministro chinês das Relações Exteriores, Wang Yi.

"Constatamos que a parte americana tem dado grande atenção às questões de segurança na península (coreana). A China sempre considerou que a segurança está no centro do problema", acrescentou Wang Yi, durante uma coletiva de imprensa conjunta com o chanceler turco, Mevlut Cavusoglu.

Wang Yi reagiu assim às declarações de Tillerson. Na terça-feira (1º), o secretário havia dito que os Estados Unidos não querem derrubar o líder norte-coreano, Kin Jong-Un.

"Não visamos a uma mudança de regime. Não queremos seu colapso. Não queremos uma reunificação acelerada da península", destacou Tillerson.

"Não queremos uma desculpa para enviar o nosso Exército para o norte do paralelo 38. E estamos tentando explicar isso à Coreia do Norte", completou.

Além disso, assegurou que Washington está disposto a conversar com a Coreia do Norte, se seus líderes aceitarem que devem empreender uma política de desarmamento.

"Não acreditamos que seja produtivo sustentar um diálogo em que os norte-coreanos cheguem assumindo que vão manter seu arsenal nuclear", advertiu.

O tom adotado pelo secretário americano foi muito mais diplomático do que o empregado pelo presidente americano, Donald Trump. O magnata havia exigido que a China, vizinha da Coreia do Norte e seu maior aliado comercial, ajude os EUA a conter as ambições nucleares de Pyongyang. Em tuítes postados no último fim de semana, Trump disse estar muito incomodado com o fato de Pequim não estar fazendo nada a respeito.

"Estou muito decepcionado com a China (...) Não fazem NADA por nós em relação à Coreia do Norte, apenas falar", queixou-se em uma série de tuítes.

"Não permitiremos que isso continue. A China poderia resolver isso facilmente!", completou.

Na semana passada, Kim se gabou de que a Coreia do Norte poderia alcançar qualquer alvo no território americano, após realizar seu último teste de míssil balístico intercontinental.

Em várias oportunidades, Trump exigiu que a China contenha as aspirações do vizinho, mas Pequim, que interrompeu as importações de carvão norte-coreano, insiste em que a única solução possível é o diálogo.

Segundo o ministro chinês Wang Yi, a China tem mantido uma "posição estável e constante" sobre a questão, pedindo moderação às partes, a fim de evitar uma escalada das tensões.

AFP