Navigation

China enviará primeira sonda a Marte no final de julho

Foguete transportando satélite Beidou-3GEO3 decola do Centro de Lançamento de Satélites de Xichang, na província de Sichuan, sudoeste da China, em 23 de junho de 2020 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 01. julho 2020 - 14:17
(AFP)

A China anunciou nesta quarta-feira que enviará uma sonda e um pequeno robô para Marte no final de julho, sua primeira missão no planeta vermelho.

O país investe bilhões de dólares em seu programa espacial, que inclui o lançamento de satélites, o envio de uma missão tripulada à Lua e o lançamento de uma nova sonda em meados de maio.

"Escolheremos uma data apropriada durante o período de 20 a 25 de julho para o lançamento para Marte da sonda Tianwen-1", anunciou o centro de lançamento espacial de Wenchang (sul da China).

"Desejamos à missão sucesso total!" destaca o comunicado na rede social WeChat.

Uma viagem Terra-Marte leva cerca de sete meses. Desta forma, a sonda chinesa deve atingir seu destino apenas em 2021.

A distância muda constantemente, mas são pelo menos 55 milhões de quilômetros.

A missão, batizada "Tianwen" ("Perguntas ao Céu"), tem três objetivos: colocar uma sonda em órbita marciana, aterrá-la na superfície do planeta vermelho e, em seguida, teleguiar um robô para análises.

A China já realizou uma operação semelhante na Lua, onde depositou em 2013 o "Coelho de Jade", um pequeno "rover" guiado remotamente e, mais tarde, em 2019, outro robô, este último no lado oculto do satélite.

Os Estados Unidos são o país com maior presença em Marte: já enviaram quatro veículos de exploração e, em julho, enviarão o quinto, chamado "Persistência".

Os Emirados Árabes Unidos também querem se juntar à corrida ao planeta vermelho, com uma sonda que será lançada a partir do Japão.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.