Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) O porta-aviões chinês Liaoning

(afp_tickers)

A China inaugurou no porto africano de Djibuti sua primeira base naval militar no exterior, informou a agência de notícias estatal Xinhua nesta terça-feira.

O anúncio coincidiu com o 90º aniversário da criação do Exército Vermelho, acontecimento celebrado em Pequim com um discurso do presidente Xi Jinping, no qual assegurou que o país está preparado "para vencer qualquer invasão".

A Marinha chinesa está presente desde o fim de 2008 nas zonas costeiras da Somália e no Golfo de Áden como parte dos esforços internacionais para combater a pirataria na área.

A base servirá, segundo a China, para dar apoio logístico "para as escoltas navais na África e no Oriente Médio, as operações de manutenção da paz [das Nações Unidas] e a ajuda humanitária".

A China anunciou no começo de 2016 a construção desta base em Djibuti, que se junta às já instaladas por Estados Unidos, França e Japão.

Djibuti, com 800.000 habitantes, está situado estrategicamente no estreito de Bab-el-Mandeb, uma das paisagens marítimas mais frequentadas do mundo.

AFP