Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Equipes de resgate retiram sobrevivente do terremoto no sudoeste da China que deixou 381 mortos

(afp_tickers)

As equipes de emergência procuravam nesta segunda-feira vítimas do terremoto que sacudiu o sudoeste da China no domingo, na província de Yunnan, e que provocou 381 mortes.

O balanço mais recente do ministério de Assuntos Civis cita 381 mortos, mais de 1.800 feridos, 12.000 casas destruídas e outras 30.000 danificadas.

No condado de Ludian, a área mais afetadas, sobreviventes retidos pela chuva permanecem sentados em estradas repletas de lama, à espera de alimentos e remédios, segundo a agência estatal Xinhua.

O tremor, de 6,5 graus segundo a Agência de Terremotos Chinesa e de 6,1 para o Centro Geológico dos Estados Unidos (USGS), acontecem em uma área montanhosa de 266.000 habitantes, uma zona 300 km ao norte de Kunming, a capital de Yunnan.

"Há muitos prédios afetados e estamos reunindo dados sobre os mortos e os feridos", declarou Chen Guoyong, funcionário do governo local citado pela Xinhua, na localidade de Longtoushan, epicentro do tremor.

As equipes de emergência transportavam as vítimas para os hospitais da região e procuravam sobreviventes entre os escombros.

As autoridades chinesas mobilizaram 7.000 pessoas, incluindo 5.000 soldados, policiais e bombeiros, para as tarefas de resgate. O primeiro-ministro Li Keqiang pretende visitar a região, segundo a agência estatal.

"As vítimas também estão lutando contra a chuva ininterrupta, que provocou a queda da temperatura nesta zona remota e que torna ainda mais grave a falta de água e medicamentos", destacou a Xinhua .

Um habitante de Wenzhou descreveu a região como "um campo de batalha depois de um bombardeio".

"Nunca havia passado por um tremor tão forte. Tudo o que vejo são ruínas", declarou à agência.

Segundo a Xinhua, a energia elétrica e as telecomunicações foram cortadas em toda a região. Mais de 57.000 pessoas em perigo devem ser transportadas para áreas seguras.

O sudoeste da China, situado entre as placas tectônicas Euro-asiática e Indiana, sofre com frequentes terremotos.

Em 1974, um terremoto de 6,8 graus na mesma região matou 1.500 pessoas e em setembro de 2012, 80 pessoas morreram em dois terremotos em uma região montanhosa entre as províncias de Yunnan e Ghizhou.

AFP