Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

China protesta com Seul e Washington contra sistema THAAD, já testado no Alasca no início do ano (foto)

(afp_tickers)

A China anunciou, nesta quinta-feira (7), que "protestou energicamente" contra Seul, após a rápida mobilização do estudo antimísseis americano Thaad, realizada depois do mais recente teste nuclear de Pyongyang.

"Mais uma vez, pedimos à Coreia do Sul e aos Estados Unidos que levem a sério os riscos para a segurança e os interesses da China (...), encerrem a mobilização atual e retirem todas as instalações em questão", declarou o porta-voz do Ministério chinês das Relações Exteriores Geng Shuang, em entrevista coletiva.

"Enviamos um enérgico protesto contra a Coreia do Sul", acrescentou.

Um dia depois do novo teste por parte de Pyongyang, Seul anunciou o reforço em seu território do escudo antimísseis americano Thaad (Terminal High-Altitude Area Defense), cujo objetivo é proteger o país.

Dois lança-mísseis desse dispositivo haviam sido instalados previamente na Coreia do Sul e já estavam em operação. Depois, Seul decidiu suspender a ampliação do sistema, devido às preocupações ambientais da população.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP