Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Apostadores jogam blackjack em um cassino no norte da capital do Chipre Nicosia, ocupada pela Turquia, em registro de novembro de 2009

(afp_tickers)

O Chipre assinou, nesta segunda-feira, um acordo com o consórcio formado por Hard Rock e Melco Internation (Macao) para contruir e explorar o maior cassino da Europa, anunciou o ministro de Comércio e Turismo.

O cassino deve custar cerca de US$ 672 milhões e será o primeiro da parte sul do Chipre, que é reconhecida pela comunidade internacional.

Durante a assinatura do acordo em Nicosia, o ministro de Comércio e Turismo George Lakkotrypis afirmou que "o complexo incluirá o maior cassino da Europa, com 136 mesas de jogo e 1.200 máquinas caça-níqueis". O complexo de 6 mil metros quadrados também terá 500 quartos de hotel.

"O acordo abre a via para realizar grandes projetos de infraestrutura que nunca foram feitos no país", afirmou o ministro.

O consórcio terá um licença de 30 anos para construir o cassino e a infraestrutura relacionada ao projeto na cidade costeira de Limassol, no sul do país, além de erguer quatro cassinos menores em outras cidade.

O Chipre está dividido desde a invasão de tropas turcas ao norte do país, em 1974.

Os cassinos se proliferam desde a época da República Turca de Chipre do Norte, reconhecida apenas pela Turquia. Contudo, no sul da ilha, as tentativas de legalizar empreendimentos do tipo foram barradas pela influente igreja ortodoxa.

Esse cassino integra o plano governamental para reativar a economia da ilha, que integra a zona do euro, já que estimulará a criação de cerca de 4 mil empregos.

Segundo estimativas, essa operação pode render até 100 milhões de euros ao ano ao Estado.

AFP