Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Imagem feita por um telescópio do Observatório Europeu Austral, da galáxia ativa Markarian 1018 que tem um buraco negro em seu núcleo, no dia 13 de setembro de 2016

(afp_tickers)

O choque de duas galáxias e sua posterior fusão produzem material suficiente para alimentar e permitir o crescimento dos buracos negros, afirma um estudo difundido nesta quinta-feira em Santiago.

O estudo confirma as simulações feitas por cientistas ao redor do mundo e traz informações sobre a interação entre os buracos negros e sua galáxia.

"Conseguimos demonstrar como a galáxia pode dialogar, falar com o buraco negro", comentou Claudio Ricci, pesquisador do Instituto de Astrofísica da Universidade Católica do Chile e líder do projeto.

A pesquisa permitiu "observar galáxias em diferentes etapas de choque e descobrir que, por exemplo, nas primeiras etapas o material é normal e rodeia o buraco negro como um cinturão, mas nas últimas etapas da colisão é muito mais denso e cobre completamente o buraco negro".

"A distribuição do material é diferente e isso significa que é verdade que o choque pode provocar a queda do material até o buraco negro e ele, por sua vez, pode crescer muito nessas etapas em que fica escondido", afirma um comunicado difundido pelos pesquisadores.

Para realizar as observações foi utilizado o satélite Nustar da NASA. O estudo aparecerá na edição impressa da revista científica Monthly Notices Royal Astronomical Society nos próximos meses.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP