Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Homem participa de ato pelo aniversário de um ano do desaparecimento dos 43 estudantes de Ayotzinapa, na Cidade do México, em 26 de setembro de 2015

(afp_tickers)

A Comissão Interamericana de Direitos Humanos prometeu nesta terça-feira aos pais dos 43 estudantes desaparecidos no México que não vai abandoná-los na busca por verdade e justiça, durante uma reunião com membros do grupo em uma escola rural de Ayotzinapa.

"Há muitas histórias tristes. A de Ayotzinapa é uma das mais tristes. Sinto pesar por todas as famílias", disse à imprensa após o encontro Rose-Marie Belle Antoine, presidente da CIDH.

A diplomata recordou que há seis meses a CIDH enviou ao México um grupo de especialistas independentes para investigar o desaparecimento dos jovens, considerado uma "tragédia" de direitos humanos.

Estudantes de Ayotzinapa foram brutalmente atacados por policiais na noite de 26 de setembro de 2014 em Iguala, e entregues a membros do crime organizado.

Segundo a investigação oficial, os criminosos executaram os jovens e queimaram seus corpos no município vizinho de Cocula.

Os pais e companheiros dos 43 estudantes desaparecidos se negam a aceitar esta versão e exigem uma nova linha de investigação.

AFP