Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Nos últimos cinquenta anos, o número de chimpanzés passou de dois milhões a 300.000 ou mais, espalhados por 21 países.

(afp_tickers)

A britânica Jane Goodall, a renomada especialista no estudo de primatas vivida por Sigourney Weaver no filme "Na montanha dos gorilas", pediu medidas para evitar que os grandes macacos acabem desaparecendo em algumas décadas.

"Se não tomarmos medidas, os grandes macacos vão desaparecer, devido, ao mesmo tempo, à destruição de seu habitat e ao tráfico" de espécies animais, explicou Janes Goodall em uma entrevista à AFP em Nairóbi.

Nos últimos cinquenta anos, o número de chimpanzés passou de dois milhões a 300.000 ou mais, espalhados por 21 países, segundo a especialista britânica, de 80 anos, que passou meio século estudando estes primatas no Parque Natural de Gombe, na Tanzânia.

"Se não fizermos nada, vão desaparecer, ou só restarão a eles pequenas bolsas onde dificilmente escaparão da consanguinidade", explicou Goodall, primeira cientista a observar que os grandes macacos, assim como os homens, utilizavam ferramentas.

No ritmo atual, o desenvolvimento humano terá alcançado até 2030 90% do habitat natural dos grandes macacos na África e 99% na Ásia, consideraram especialistas em um relatório publicado no fim de junho por uma ONG de defesa dos grandes macacos, apoiada pela ONU.

O desenvolvimento das infraestruturas e a exploração de recursos naturais - madeira, minerais, petróleo e gás - devastaram o habitat dos grandes macacos e levaram chimpanzés, gorilas, bonomos e orangotangos à beira da extinção, segundo estes especialistas.

Para Jane Goodall, a destruição deste habitat forma parte de uma agressão mais ampla da espécie humana contra a natureza: "se não fizermos nada para proteger o meio ambiente, que já destruímos em parte, não gostaria de ser uma criança nascida em 50 anos. Não devemos isso a elas?".

"Somos esquizofrênicos: temos esta inteligência incrível, mas parece que perdemos o poder de trabalhar em harmonia com a natureza", acrescentou.

Jane Goodall estimou que "se perdermos (os grandes macacos), será provavelmente porque também perdemos as florestas e isso terá consequências totalmente devastadoras sobre as mudanças climáticas".

"A mudança climática é evidente em toda parte. Há líderes que dizem que não acreditam nas mudanças climáticas, mas não acredito que seja realmente o que pensam, talvez sejam apenas estúpidos", concluiu.

AFP