Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Um pesquisador trabalha com um microscópio, em 18 de janeiro de 2017 em Kiev

(afp_tickers)

Pesquisadores americanos anunciaram nesta segunda-feira que desenvolveram um exame de sangue para detectar a tuberculose que pode acelerar o diagnóstico e o tratamento desta grave infecção bacteriana.

A tuberculose matou cerca de um bilhão de pessoas nos últimos dois séculos, e continua sendo uma das dez principais causas de morte no mundo.

"Com os formatos de testes atuais, os únicos métodos para diagnosticar a tuberculose são as secreções expectoradas, as culturas de sangue, as invasivas biópsias pulmonares ou linfáticas, ou as punções lombares", disse Tony Hu, da Universidade Estatal de Arizona, que chefiou a pesquisa.

Com estes testes tradicionais, cujos resultados "podem dar falsos negativos", pode levar "de dias a semanas para obter os resultados".

O novo exame "supera todos os existentes no mercado atualmente" e pode ser realizado em questão de horas, indicaram os pesquisadores em um comunicado.

Também é o primeiro a medir a gravidade de uma infecção ativa de tuberculose, ao examinar duas proteínas do sangue - CFP-10 e ESAT-6 - que as bactérias geram só durante as infecções ativas.

A precisão do exame é de cerca de 92%. Ainda não está disponível para o público, e seu custo não foi determinado.

Um relatório com a descrição do teste foi publicado na revista americana Proceedings of the National Academy of Sciences (Pnas).

AFP