Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Policial turco na entrada do tribunal onde ocorre o julgamento contra colaboradores do jornal opositor Cumhuriyet, em Istambul, em 11 de setembro de 2017

(afp_tickers)

Um tribunal turco decretou nesta segunda-feira a permanência na prisão de cinco colaboradores do jornal Cumhuriyet - que faz oposição ao presidente Recep Tayyip Erdogan - por "atividades terroristas".

A decisão envolve o redator-chefe do jornal, Murat Sabuncu, e seu diretor, Akin Atalay, em um processo emblemático da deterioração da liberdade de imprensa na Turquia.

A decisão definitiva será proferida no dia 25 de setembro, após o presidente do tribunal ouvir três testemunhas pendentes.

Atalay, Subuncu, o colunista Kadri Gürsel, o jornalista investigativo Ahmet Sik e um contador do jornal, Yusuf Emre Iper, foram aplaudidos pelo público na saída do tribunal.

No total, 17 dirigentes, jornalistas e outros funcionários e ex-funcionários do Cumhuriyet são acusados de ajudar "organizações terroristas armadas" e poderão ser condenados a até 43 anos de prisão.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP