Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Cenário de atentado terrorista em Kano, na Nigéria, em 24 de julho de 2014.

(afp_tickers)

Ao menos cinco pessoas morreram e oito ficaram feridas neste domingo em um atentado com bomba contra uma igreja de Kano, no norte da Nigéria, enquanto a polícia conseguiu evitar outros dois atentados suicidas, informaram autoridades.

"Cinco pessoas morreram e outras oito ficaram feridas neste ataque" contra a igreja católica de São Carlos de Kano, no bairro cristão de Sabon Gari, declarou à AFP Frank Mba, porta-voz da polícia, ressaltando que se tratava, "sem dúvida, de uma bomba de fabricação caseira lançada do outro lado da rua".

Idowy Kazim, um mecânico deste bairro, diz ter ouvido uma explosão às 14h15 (10h15 de Brasília).

O ataque ocorreu pouco depois de uma tentativa de atentado suicida contra uma universidade de Kano, de acordo com Mba.

"Uma mulher suicida foi isolada quando caminhava em direção à entrada da universidade", indicou, explicando que a mulher teve um comportamento considerado estranho.

Enquanto os policias chamavam uma companheira feminina para revistá-la, a mulher ativou uma bomba escondida em sua roupa, matando a si mesma e ferindo cinco oficiais.

A polícia de Kano também anunciou neste domingo ter desmantelado um carro-bomba deixado ao lado de uma mesquita e da casa de um sacerdote da cidade.

"Foi colocada uma bomba, ativada à distância ontem (sábado) em um veículo abandonado próximo à mesquita Sheikh Isyaku Rabiu. Vizinhos alertaram a polícia durante a noite. Nossos especialistas em explosivos conseguiram desativá-la", explicou um porta-voz da polícia, Musa Magaji Majia.

O Boko Haram, grupo que reivindica a criação de um Estado islâmico no norte do país, já assassinou líderes religiosos, acusados de se submeter à autoridade do presidente Goodluck Jonathan, que é cristão.

O bairro de Sabon Gari foi alvo na última quinta-feira de um atentado em uma estação de ônibus que deixou ao menos um morto e oito feridos.

AFP