Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) O cineasta sul-coreano Kim Ki-Duk

(afp_tickers)

O Ministério Público da Coreia do Sul abriu nesta quinta-feira uma investigação contra o diretor de cinema Kim Ki-Duk, acusado de agredir uma atriz durante uma filmagem.

"Recebemos uma demanda penal contra o diretor Kim Ki-Duk e a Procuradoria abriu uma investigação", disse à AFP o porta-voz de um dos procuradores do distrito central de Seul.

O porta-voz se negou a fazer qualquer declaração a mais sobre o caso.

Os agentes de Kim denunciaram acusações sem fundamento e informaram que pretendem divulgar um comunicado detalhada nas próximas horas.

De acordo com a agência sul-coreana Yonhap, uma atriz, que não teve a identidade revelada, apresentou uma denúncia contra o diretor, que acusa de ter dado um tapa nela durante as filmagens de "Moebius", que estreou em 2013.

A atriz também acusa Kim Ki-Duk de ofensas e de obrigá-la a filmar uma cena nua.

Kim Ki-Duk foi premiado em 2012 com o Leão de Ouro do Festival de Veneza pelo filme "Pieta" e com o Urso de Prata de melhor diretor em Berlim por "Samaritana" (2004).

Em um primeiro momento, o filme "Moebius" foi proibido na Coreia do Sul por ser considerado obsceno.

Mas as autoridades terminaram por permitir a estreia após o corte de algumas cenas polêmicas.

AFP