Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O Crematório Real de Bangcoc

(afp_tickers)

O novo rei da Tailândia recolheu nesta sexta-feira as cinzas e os ossos de seu pai, incinerado em um grande funeral, que serão conservados como relíquias.

A pira foi acesa na quinta-feira à noite a portas fechadas, após uma cerimônia que durou o dia todo, na despedida do monarca que reinou durante 70 anos no país, elevado ao status de semideus pela junta militar.

O corpo do rei Bhumibol Adulyadej, falecido em 13 de outubro de 2016 aos 88 anos, foi conservado por mais de um ano no palácio.

Nesta sexta-feira, o filho de Bhumibol, o rei Maha Vajiralongkorn, 65 anos, subiu as escadas do monumental crematório para recuperar as cinzas.

O monarca jogou água no local e depois utilizou as próprias mãos para colocar os ossos em seis urnas douradas com diamantes incrustados que serão levadas para o palácio em uma procissão.

Durante a cerimônia, o rei foi acompanhado por auxiliares que permaneceram de joelhos, como determina o rígido protocolo do palácio.

Na quinta-feira, mais de 300.000 tailandeses se reuniram, segundo as autoridades, ao longo do percurso da cerimônia funerária. Dezenas de milhares visitaram os templos de todo o país para prestar homenagem.

A adoração a Bhumibol é resultado de décadas de um culto à personalidade do monarca, que era apresentado como a garantia da estabilidade de um país marcado por profundas divisões políticas, entre ultramonárquicos e reformistas.

Para o funeral, o governo da junta militar e a monarquia, uma das mais ricas do mundo, não pouparam nos gastos: a cerimônia e a construção do crematório custaram quase 90 milhões de dólares.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP