Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Soldados colombianos são vistos na área rural do departamento de Cauca, em 15 de abril de 2015

(afp_tickers)

Dezessete militares foram destituídos nesta quinta-feira pela Procuradoria Geral da Colômbia, pela participação em dois casos que deixaram três civis mortos no conflito armado interno.

Em uma primeira decisão, a Procuradoria "destituiu e desabilitou por 18 anos cinco militares pela morte de dois cidadãos por membros do Exército Nacional", em fatos de julho de 2003 no departamento de Antioquia. Trata-se de dois tenentes, dois soldados e um cabo

Segundo a Procuradoria, "não foram encontrados antecedentes nem informações de inteligência das autoridades militares e da Polícia que demonstrem que as vítimas no momento de sua morte se encontravam vinculados a um grupo armado ilegal".

Em uma segunda decisão, a entidade sancionou com destituição e inabilitação por 20 anos a 12 membros de um batalhão do Exército em Huila por um fato ocorrido em janeiro de 2008 nesse departamento, em que "os militares teriam causado a morte de um agricultor de 34 anos de idade".

Entre os 12 destituídos há um sargento, um cabo e 10 soldados.

As decisões são de primeira instância e, portanto, cabe apelação.

AFP