Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Membro das Farc Carlos Antonio Lozada, durante negociações com governo em Havana, 3 de novembro de 2015

(afp_tickers)

Guerrilheiros das Farc, membros de uma comissão que deveria viajar para Cuba para participar dos diálogos de paz entre esse grupo e o governo, ficaram feridos em um combate com o Exército da Colômbia - informou-se neste domingo (10).

"Foi um combate que aconteceu há 48 horas na jurisdição de La Uribe (centro). Uma patrulha das nossas forças de mobilização rápida, que estava fazendo controle territorial, cruzou com uma patrulha das Farc", disse à imprensa o ministro colombiano da Defesa, Luis Carlos Villegas, acrescentando que, segundo as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, houve "alguns feridos" fruto do confronto.

O ministro garantiu que o governo ofereceu assistência médica à guerrilha.

Já Carlos Lozada, membro do secretariado das Farc e negociador em Havana, denunciou em seu Twitter que o que aconteceu em Meta foi um "assalto a delegados das Farc que viajavam para Havana".

Contrariando a declaração do ministro da Defesa, o líder rebelde disse ainda que a "negativa" do Exército da Colômbia a realizar "a evacuação aérea dos guerrilheiros feridos em Uribe, Meta, viola o DIH (Direito Internacional Humanitário) e mina a confiança da Mesa [de diálogo]".

Desde novembro de 2012, as Farc e o governo de Juan Manuel Santos negociam em Cuba para pôr fim a mais de meio século de conflito. Em 23 de junho passado, as partes envolvidas selaram as condições para o cessar-fogo bilateral e definitivo e para a entrega das armas por parte dos rebeldes.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP