AFP

Os japoneses terão que reduzir seu consumo de batatas fritas de pacote depois que a fabricante Calbee suspendeu a venda das famosas "potato chips" devido à colheita ruim do ano passado

(afp_tickers)

Os japoneses terão que reduzir seu consumo de batatas fritas de pacote depois que a fabricante Calbee suspendeu a venda das famosas "potato chips" devido à colheita ruim do ano passado.

"Suspendemos de forma progressiva desde 12 de abril em todo o país a venda de 30 variantes de 'chips' e não sabemos em que momento poderemos retomar" a venda, declarou nesta quarta-feira à AFP uma porta-voz da Calbee, Masaya Kawase.

Calbee, que comercializa sacos de batatas fritas com múltiplos sabores, e seu concorrente Koikeya utilizam batatas de Hokkaido, uma ilha agrícola no norte do país. Mas os violentos tufões do ano passado provocaram estragos na colheita de agosto-setembro.

Koikeya também teve que suspender temporariamente a venda de algumas de suas especialidades, mas já restabeleceu uma parte da atividade.

"As batatas só são colhidas uma vez ao ano em cada região e o fornecimento vai sendo feito ao longo dos meses segundo uma linha sul-oeste/norte-leste, como a floração das cerejeiras", disse Kawase.

A Calbee dispunha de matéria prima até o fim de 2016 e para o início de 2017 graças às batatas das regiões mais ao sul, mas não o suficiente para contrabalançar a reduzida colheita de Hokkaido.

A empresa, também conhecida por seus cereais, importa uma parte das batatas dos Estados Unidos, mas "a diretriz do ministério da Agricultura limita as quantidades, o período de chegada e a zona na qual podem ser transformadas", afirma Kawase.

Por isso, a empresa só pode utilizar batatas dos Estados Unidos em duas fábricas do sudoeste, Kagoshima e Hiroshima.

AFP

 AFP