Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Embarcação humanitária 'Aquarius', em 29 de junho de 2018, em Marselha, França

(afp_tickers)

De novo frente à costa da Líbia neste sábado (11), o navio humanitário "Aquarius" anunciou que mantém sua missão, após ter resgatado 141 pessoas em duas operações na sexta-feira.

As ONGs SOS Méditerranée e Médicos Sem Fronteiras (MSF) disseram, no Twitter, que seu barco "continua na zona de busca e resgate, atento a qualquer outra embarcação em perigo".

Na sexta de manhã, o navio resgatou 25 migrantes que estavam à deriva em uma pequena embarcação de madeira, a 26 milhas náuticas do litoral líbio, ao norte de Zuara.

Em uma segunda operação, o "Aquarius" resgatou 116 pessoas, 67 delas menores desacompanhados, em sua maioria originários da Somália e da Eritreia.

Segundo as ONGs, sua embarcação de madeira, "sobrecarregada", sem água e sem comida, estava a 24 milhas náuticas da costa líbia, ao norte de Abu Kammash.

Em junho, o "Aquarius" salvou 630 migrantes, também perto do litoral líbio. O ministro italiano do Interior, Matteo Salvini, negou-se a autorizar seu desembarque na Itália. As autoridades maltesas também fecharam seus portos ao navio, cujo destino final acabou sendo o porto espanhol de Valencia.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.










AFP