Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Pessoas são resgatada de lancha do Hotel Omni, em meio às enchentes causadas pelo furacão Harvey, em Houston

(afp_tickers)

Bryan Curtis normalmente anda de jet ski por diversão. No domingo, porém, transformou-o em veículo de resgate.

Curtis, que vive em Conroe, ao norte de Houston, foi um dos muitos texanos que se uniram para ajudar na evacuação dos que ficaram presos nas zonas inundadas da principal cidade do Texas, castigada pela tempestade Harvey.

"Para dizer a verdade, não estou pensando em mim neste momento. São as pessoas que precisam de ajuda. Estou aqui para ajudar. Quero fazer minha parte", disse ele à AFP.

Com os serviços oficiais de emergência assoberbados pelo nível do desastre em Houston - a quarta cidade dos Estados Unidos -, a tarefa do dia ficou, muitas vezes, nas mãos de um exército de voluntários.

Alguns formaram correntes humanas, enquanto outros recorreram a seus botes a motor para levar os inundados para zonas seguras.

Depois da queda de mais de 600 milímetros de chuva em 24 horas, algumas ruas de Houston se transformaram em canais, impossibilitando a circulação de carros.

Alguns dos poucos veículos que podiam ser vistos nas ruas eram grandes caminhões carregados de pessoas, que subiam agradecidos pela ajuda.

"Continuamente passamos por esses bairros e, hoje, recorremos a alto-falantes para chamar a atenção das pessoas: "Ei, estão prontos para sair?", convocava o oficial da Polícia local Alan Rosen.

"Estamos assoberbados. Não há recursos suficientes, nunca há recursos suficientes para percorrer tudo e salvar todos", disse Rosen à emissora de televisão local KTRK, após carregar um dos veículos de resgate com dezenas de evacuados.

"Estamos fazendo totalmente tudo que pudemos", acrescentou.

No sábado à noite, oficiais de uma patrulha de Polícia encontraram um homem preso a uma árvore. Com uma corrente humana através de um pântano, foi possível resgatá-lo.

- Viagem de bote -

Com tantas ruas debaixo d'água, os botes são a única opção para alguns dos que se encontram isolados nas zonas periféricas.

James Lofton, morador do subúrbio de Spring Valley, fez várias viagens com seu bote para levar para zonas seguras pessoas que estavam presas em um hotel.

"Estamos indo e vindo para tirar as pessoas do (hotel) Omni durante boa parte da tarde", disse Lofton à AFP.

Uma das últimas pessoas a deixar o hotel foi uma mulher recentemente submetida a uma cirurgia nas costas e que foi carregada de bote com todo cuidado.

"Obviamente, teve uma cirurgia e sente muita dor. Esta é uma viagem muito dolorosa para ela", afirmou Lofton.

Curtis disse que ele e um amigo entraram em contato com a agência de gestão de emergências para oferecer seus serviços com o jet ski.

"Estamos esperando seu chamado para ver onde precisam de nós", completou.

Algumas das operações mais dramáticas foram feitas com helicópteros, que resgataram pessoas que estavam presas nos andares superiores de suas casas.

O canal de TV ABC 13 de Houston mostrou imagens de um pai com seu filho de seis anos, ambos chamados Jeremiah, cada um com uma bolsa nas costas, subindo em um cesto pendurado de um helicóptero.

"Isso é tudo que temos. Graças a Deus. Graças a Deus", disse o pai.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP