AFP

Gilmar Mendes

(afp_tickers)

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) rejeitou, nesta sexta-feira, por 4 votos a 3, a cassação da chapa composta por Dilma Rousseff e Michel Temer, vencedora das eleições presidenciais de 2014, permitindo ao presidente desembaraçar-se de uma das ameaças à sua permanência no cargo.

"Não se substitui um presidente da República a toda hora, ainda que se queira, porque a Constituição valoriza a soberania popular (...). A cassação de mandato deve ocorrer em situações inequívocas", justificou o ministro Gilmar Mendes, presidente da corte, que desempatou a votação, que estava em 3-3. Temer é investigado paralelamente no Supremo Tribunal Federal por corrupção passiva, obstrução da Justiça e organização criminosa.

AFP

 AFP