Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) O ex-vice-presidente argentino Amado Boudou

(afp_tickers)

Um tribunal argentino iniciou nesta terça-feira (3) o julgamento de Amado Boudou, ex-vice-presidente da ex-chefe de Estado Cristina Kirchner (2007-2015), acusado de corrupção.

As primeiras instâncias do julgamento foram transmitidas pelo Centro de Informação Judicial (CIJ), uma agência de imprensa do Judiciário.

Boudou é acusado de suborno e de negociações incompatíveis com a função pública pela alegada tentativa de comprar uma empresa privada, a única dedicada à fabricação de documentos públicos e de papel-moeda.

O ex-vice-presidente é acusado de tentar tomar posse, recorrendo a um "laranja", de 70% das ações da Ciccone Calcográfica, quando era ministro da Economia em 2010.

Depois que o escândalo explodiu, o então governo de Kirchner nacionalizou a Ciccone.

O juiz federal Ariel Lijo confirmou o julgamento em maio passado, que também inclui no banco dos réus o empresário José Núñez Carmona, o suposto laranja de Boudou, Alejandro Vandenbroele e outros três empresários por participarem da manobra.

O julgamento pode durar um ano, de acordo com fontes judiciais.

Na última quarta-feira, teve início outro julgamento contra o ex-ministro do Planejamento Julio de Vido, acusado de "estrago não intencional e administração fraudulenta" por uma tragédia ferroviária que matou 51 pessoas e feriu 780 em 22 de fevereiro de 2012.

Boudou também é investigado pelo suposto recebimento de doações após dois passeios de helicóptero de uma empresa privada.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.










AFP