Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Funcionária da Comissão Eleitoral afegã abre urna de votação em Cabul em 17 de julho

(afp_tickers)

A verificação dos 8,1 milhões de votos do segundo turno da eleição presidencial afegã começou nesta quinta-feira em Cabul.

A operação recebeu o apoio dos dois candidatos que disputam a presidência, Abdullah Abdullah e Ashraf Ghani, e deve durar de duas a três semanas, segundo o presidente da Comissão Eleitoral Independente, Ahmad Yusuf Nuristani.

"Prevemos formar uma centena de equipes para esta auditoria", disse Nuristani.

Nesta quinta-feira, a verificação começou com 30 equipes.

Depois da verificação das cédulas urna por urna, os candidatos terão 24 horas para fazer reclamações, que serão examinadas em 48 horas pela Comissão de Queixas (ECC).

"Espero que desta vez os dois candidatos aceitem os resultados, depois da auditoria geral", completou Nuristani, antes de informar que o país ainda aguarda a chegada de todos os observadores estrangeiros.

Um dia depois do anúncio dos resultados preliminares do segundo turno de 14 de junho, Abdullah denunciou a vantagem apresentada por Ashraf Ghani (56,4% dos votos).

A disputa entre Abdullah e Ghani provoca o temor de aumento de tensão entre os partidários dos dois candidatos.

Ghani, um pashtun, tem o apoio desta etnia majoritária no sul do país e Abdullah é respaldado pelos tajik do norte, apesar de seu pai ser pashtun.

A posse do novo presidente estava programada para 2 de agosto, mas será adiada por conta da verificação.

AFP