Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A alta comissária da ONU para os Direitos Humanos, Navi Pillay

(afp_tickers)

A alta comissária da ONU para os Direitos Humanos, Navi Pillay, pediu nesta quarta-feira uma investigação sobre os possíveis crimes de guerra cometidos por Israel em Gaza, e denunciou os ataques indiscriminados do movimento islamita Hamas contra zonas civis.

"Existe uma alta possibilidade de que o direito humanitário internacional tenha sido violado, o que pode constituir crimes de guerra", disse Pillay, citando como exemplo a destruição de casas e os civis mortos na Faixa de Gaza, entre eles crianças.

Pillay, que participa de uma reunião extraordinária do Conselho de Direitos Humanos da ONU sobre a ofensiva israelenses, pediu uma investigação sobre cada um destes crimes.

Também denunciou que, "mais uma vez, os princípios de diferenciação e de precaução não foram respeitados claramente nos ataques indiscriminados cometidos contra zonas civis pelo Hamas e por outros grupos palestinos armados".

Pillay participava no Conselho de Direitos Humanos em Genebra de uma reunião urgente solicitada pelos palestinos e pelos países árabes para exigir que o direito internacional seja respeitado nos territórios palestinos ocupados.

Um projeto, que será submetido à votação dos participantes da reunião, condena "firmemente as violações maciças e sistemáticas dos direitos humanos provenientes das operações militares israelenses desde 13 de junho nos territórios palestinos ocupados, em particular a ofensiva israelense em Gaza".

AFP