Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Um comissário de bordo da companhia aérea Malaysia Airlines foi indiciado na França depois de ter abusado sexualmente de uma passageira a bordo de um voo Kuala Lumpur/Paris

(afp_tickers)

Um comissário de bordo da companhia aérea Malaysia Airlines foi indiciado na França depois de ter abusado sexualmente de uma passageira a bordo de um voo Kuala Lumpur/Paris, informaram nesta terça-feira fontes próximas à investigação.

Terça-feira passada, após a aterrissagem de seu voo no aeroporto Charles de Gaulle, a passageira, uma cidadã australiana, se dirigiu à polícia de fronteira do aeroporto de Paris. Aos investigadores, ela afirmou ter sofrido violência sexual por um comissário de bordo.

"No início do voo, ela manifestou à tripulação sua apreensão" após os dois incidentes aéreo da companhia aérea malaia nos últimos meses, informou uma destas fontes. O comissário de bordo se sentou ao lado dela e começou a conversar. Sob o pretexto de "confortá-la", ele teria agredida sexualmente a passageira.

O comissário de bordo confessou o crime. Ele foi indiciado no dia seguinte e colocado em prisão preventiva, indicou uma das fontes.

Duas catástrofes aéreas abalaram a companhia malaia este ano: o desaparecimento de um Boeing transportando 239 pessoas entre Kuala Lumpur e Pequim em 8 de março, e a queda do voo MH17, abatido por um míssil no dia 17 de julho no leste Ucrânia, matando 298 pessoas.

AFP