AFP

A Associação Internacional de Transporte Aéreo revisou em alta nesta segunda-feira as previsões de lucro do setor para 2017, antecipando um aumento da demanda apesar dos desafios em matéria de segurança

(afp_tickers)

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA, na sigla em inglês) revisou em alta nesta segunda-feira as previsões de lucro do setor para 2017, antecipando um aumento da demanda apesar dos desafios em matéria de segurança.

Durante a assembleia geral que a associação celebrou no balneário mexicano de Cancún (leste), o diretor-geral da IATA, Alexandre de Juniac, disse que entre os "ventos adversos" que enfrenta a indústria está o aumento das ameaças à segurança, assim como o protecionismo em certos lugares do mundo.

O funcionário lamentou a decisão dos Estados Unidos e da Grã-Bretanha de proibir laptops e tablets na cabine de passageiros "sem consultar a indústria e com um período muito curto para sua aplicação".

Os lucros das 275 companhias aéreas que fazem parte da IATA chegariam a 31,4 bilhões de dólares contra os 29,8 bilhões anunciados no final de 2016, o que representa um aumento de pouco mais de 5% na previsão, anunciou a associação.

"As companhias aéreas entraram em uma nova era de rentabilidade", disse Juniac.

"Com uma receita por passageiro de 7,69 dólares, não há muita margem", assegurou, pedindo às companhias que fiquem atentas a qualquer aumento de custos, especialmente em impostos, mão de obra e infraestrutura.

AFP

 AFP