Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Em 2010 havia 27 milhões destes dispositivos na região, enquanto em 2016 este número aumentou para 372 milhões

(afp_tickers)

As conexões móveis com rede 4G aumentaram 121% em um ano na América Latina, de 51 milhões em 2015 a 113 milhões em 2016, segundo os dados divulgados nesta quarta-feira pelo consórcio global de operadoras GSMA.

Durante uma coletiva de imprensa no Mobile World Congress (MWC) organizado até quinta-feira em Barcelona, ​​Sebastian Cabello, diretor para a região do GSMA, destacou o forte crescimento do setor na América Latina em comparação com a desaceleração nos mercados mais desenvolvidos.

"Em 2016 as conexões 4G na América Latina duplicaram (...) Isso é importante porque demorou a decolar", afirmou Cabello.

Este aumento está intimamente ligado à expansão da cobertura 4G, que já atinge 69% da população, e "ao impressionante crescimento na penetração de smartphones", acrescentou.

Em 2010 havia 27 milhões destes dispositivos na região, enquanto em 2016 este número aumentou para 372 milhões, representando 54% dos celulares em circulação, de acordo com os dados do consórcio.

E as vendas, longe da estagnação como nos mercados mais desenvolvidos, como Europa, UA, Japão e Coreia do Sul, devem continuar a subir para chegar a 551 milhões de smartphones em 2020.

Mas este rápido aumento não foi acompanhado por uma melhoria similar da infraestrutura de rede móvel, lamenta Cabello.

"O tráfego de dados está crescendo exponencialmente, mas o espectro de frequências de rádio (onde circulam dados móveis) avança de carroça", lamentou.

Neste sentido, pediu aos governos da região para facilitar a atribuição de frequências para redes móveis, especialmente tendo em vista a implementação de conexões super rápidas 5G a partir de 2020.

AFP