Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Foram detectados cinco casos autóctones de zika em Miami Beach, o que estende a presença do vírus ao coração turístico de Miami

(afp_tickers)

Foram detectados cinco casos autóctones de zika em Miami Beach, o que estende a presença do vírus e o alerta de viagens ao coração turístico da cidade, informou nesta sexta-feira o governador da Flórida, Rick Scott, em uma coletiva de imprensa.

"Comprovamos cinco casos novos do vírus zika em Miami Beach", afirmou Scott.

"Isso significa que temos uma nova zona de transmissão", acrescentou.

Nas últimas semanas, foram detectados 36 casos de transmissão local por mosquitos deste vírus no sul da Flórida, mas até agora a epidemia se mantinha concentrada em uma área de 1,6 quilômetros quadrados em Wynwood, uma localidade artística no norte de Miami.

A nova zona afetada compreende 3,9 km quadrados no sul de Miami Beach, uma ilha célebre pelas suas construções de Art Decó em tons pastéis, sua vida noturna agitada e suas águas mornas azul-turquesa.

O vírus zika é transmitido principalmente através da picada do mosquito , mas também por contato sexual.

Na maioria dos casos, a infecção provoca apenas sintomas brandos, mas é particularmente perigosa para as mulheres grávidas, visto que pode causar malformações congênitas em fetos em desenvolvimento, como a microcefalia.

O vírus também é associado a transtornos neurológicos em adultos, como a síndrome de Guillain-Barré, que pode causar paralisia.

O diretor dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), Tom Frieden, disse em uma conferência telefônica que "a principal prioridade é que as mulheres grávidas evitem viajar para as zonas" onde o vírus está sendo transmitido ativamente.

O CDC pediu a todas as grávidas que tenham estado em Miami Beach a partir de 14 de julho que visitem um médico. Também recomendou que usem preservativos se seu parceiro sexual tiver visitado a área após essa data.

A propagação do zika na área de Miami gerou preocupação na indústria turística de que os visitantes podem passar a evitar esse destino popular.

Na sexta-feira, o prefeito de Miami, Tomas Regalado, disse à AFP que 15 eventos públicos em Wynwood foram cancelados nos últimos 10 dias, e que os cancelamentos se estendem até outubro.

"A maior preocupação é a Art Basel, que significa muito dinheiro. As pessoas comem em restaurantes de alto nível e ficam em hotéis de alto nível", disse o prefeito, referindo-se à mostra internacional de arte em Miami, que está programada para o início de dezembro.

O prefeito disse que o resto da cidade pode sofrer consequências similares às que afetam Wynwood desde 29 de julho, quando foi anunciado o primeiro surto de transmissão local de zika nos Estados Unidos continental.

Miami inteira é motivo de preocupação "porque esses mosquitos não têm GPS" para ficarem nas áreas delimitadas, disse Regalado.

"Foi um desastre para a zona. As vendas caíram quase 50% nos restaurantes e lojas", disse à AFP Joseph Furst, presidente do Wynwood Business Improvement District, que reúne os pequenos comerciantes da localidade.

Os Estados Unidos continental já registraram mais de 2.000 casos de zika nos quais o vírus foi contraído durante viagens para regiões afetadas na América Latina e no Caribe. Mais de 500 desses casos estão na Flórida.

Porto Rico, território americano, sofre uma epidemia severa de zika, com mais de 10.000 infectados, entre eles cerca de 1.000 mulheres grávidas.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP