Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O vocalista do Linkin Park, Chester Bennington, durante o festival Rock in Rio Lisboa em maio de 2012

(afp_tickers)

O vocalista do Linkin Park, Chester Bennington, se suicidou com enforcamento, confirmou nesta sexta-feira à AFP um porta-voz do Instituto Médico Legal do condado de Los Angeles.

Uma garrafa quase vazia de álcool foi encontrada em seu quarto, e não foi encontrado qualquer bilhete que explicasse sua decisão. Uma necrópsia ainda deve ser realizada, segundo o IML.

O vocalista, de 41 anos, morreu no dia do 53º aniversário de Cornell, o vocalista do Soundgarden.

Bennington realizou turnês com Cornell, e no seu funeral cantou o clássico "Hallelujah" de Leonard Cohen.

O guitarrista e compositor do Linkin Park, Mike Shinoda, disse em uma entrevista em maio, pouco depois da morte de Cornell, que Bennington estava tão afetado que não tinha conseguido manter a compostura durante a passagem de som antes de um show.

Em um tributo realizado após a morte de Cornell, Bennington disse que estava chorando "com tristeza, e também com gratidão, por ter compartilhado momentos muito especiais" com o amigo e sua "bonita família".

"Você me inspirou de tantas formas que não pode imaginar. O seu talento era puro e único. Sua voz era alegria e dor, raiva e perdão, amor e sofrimento, tudo ao mesmo tempo", disse Bennington em uma homenagem que a família de Cornell publicou no Facebook.

A viúva de Cornell colocou em dúvida se o cantor do Soundgarden tinha cometido suicídio, afirmando que seu juízo podia ter sido afetado pela medicação que ele tomava para a ansiedade.

Bennington foi homenageado na quinta-feira à noite no estádio de beisebol dos Dodgers de Los Angeles, com o organista Dieter Ruehle interpretando uma das canções mais famosas do Linkin Park, "Numb".

AFP