Navigation

Confrontos entre exército e homens armados deixam 65 mortos em Uganda

Soldados ugandeses treinam em campo militar de Singo afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 06. julho 2014 - 11:38
(AFP)

Forças do exército de Uganda mataram 54 homens armados durante confrontos no oeste do país, perto da fronteira com a República Democrática do Congo, que deixaram no total 65 mortos, indicaram neste domingo autoridades.

O tenente Ninsiima Rwemijuma, porta-voz regional do exército, apontou a morte de 54 homens, e a prisão de 40 outras pessoas, o que "devolveu a calma à região", acrescentou.

"Continuamos rastreando a zona em busca de possível bandidos escondidos", declarou Rwemijuma.

Segundo o porta-voz da polícia ugandesa, Fred Enanga, o balanço dos enfrentamentos foi de 65 mortos, entre eles civis e soldados.

Um balanço anterior indicava 50 vítimas.

Os confrontos começaram no sábado nas regiões de Kasese e Bundibugyo horas após o exército anunciar ter matado um homem suspeito de ter participado de um ataque contra uma igreja há duas semanas.

Neste ataque, realizado por grupos muçulmanos, uma mulher foi decapitada e sua cabeça foi colocada no altar.

Entretanto, ainda não foram esclarecidas as causas dos confrontos. A região foi cenário recente de combates entre cristãos e muçulmanos.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.