Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A nova legislação mexicana permitirá a concorrência de empresas privadas, tanto nacionais quanto estrangeiras, no setor petrolífero.

(afp_tickers)

O Senado mexicano aprovou na quarta-feira as leis que regulamentam a reforma energética, com as quais autoriza a aplicação no país da controversa legislação que abre o nacionalizado setor de combustíveis ao capital privado.

Após uma maratona, com 78 votos a favor, 26 contra e nenhuma abstenção, o Senado aprovou as leis que regulamentam esta norma legal. O Congresso completou o processo legislativo da reforma energética, considerado a bandeira do presidente Enrique Peña Nieto.

"Hoje se dá um grande passo para o futuro dos mexicanos. Aproveitaremos melhor e de forma sustentável nossos recursos energéticos", escreveu Peña Nieto em uma mensagem na rede social Twitter enviada pouco depois da votação.

O presidente declarou que nos próximos dias promulgará as leis aprovadas.

A reforma energética, que tem a oposição da esquerda mexicana e de conhecidas personalidades, como o cineasta Alfonso Cuarón, acabará com mais de 75 anos de monopólio da gigante estatal Pemex na exploração e produção de petróleo e gás no país.

A nova legislação permitirá a concorrência de empresas privadas, tanto nacionais quanto estrangeiras, no setor petrolífero.

AFP