AFP

Vista geral do Congresso da Colômbia, em 14 de fevereiro de 2017 em Bogotá

(afp_tickers)

O Congresso da Colômbia aprovou nesta quarta-feira a lei que permite a participação política das Farc, acertada no histórico acordo com a guerrilha para acabar com meio século de conflito armado.

O Senado aprovou - por 52 votos contra dois - o ato legislativo que "reintegra politicamente" as Forças Armadas Revolucionárias de Colômbia (Farc), principal e mais antiga guerrilha do continente, informou a casa no Twitter.

A participação política é um ponto-chave do acordo de paz firmado em novembro passado entre o governo do presidente Juan Manuel Santos e as Farc, que após o pacto se concentram em 26 pontos do país observando o processo de desarmamento e de transformação em movimento político legal.

Entre outros pontos, a lei concede dez cadeiras no Congresso aos ex-guerrilheiros, cinco em cada câmara, mas para tal deverão participar das eleições de 2018.

O estatuto que permite o nascimento do partido político das Farc, que será criado após um congresso guerrilheiro previsto para agosto, terá vigência a partir de 1º de junho.

O desarmamento dos rebeldes, previsto para o final deste mês, está atrasado por problemas logísticos e jurídicos, segundo a ONU, encarregada de supervisionar o processo.

AFP

 AFP