AFP

Policial se protege embaixo do seu escudo durante protesto, em Caracas

(afp_tickers)

O Conselho de Segurança das Nações Unidas discutirá nesta quarta-feira a crise na Venezuela, onde uma onda de protestos contra o presidente Nicolás Maduro deixou 42 mortos e centenas de feridos nas últimas seis semanas, revelaram diplomatas nesta terça.

Os Estados Unidos solicitaram na manhã desta terça-feira a realização de uma reunião, a portas fechadas, para analisar a situação na Venezuela, após reuniões sobre Somália e Eritreia, disseram as fontes.

Maduro prorrogou nesta terça-feira o estado de exceção, vigente desde janeiro de 2016, em meio a onda de protestos.

Prorrogado pela sétima vez, o estado de exceção permite ao governo restringir "garantias" constitucionais e adotar medidas especiais de "ordem social, econômica, política e jurídica", segundo o Diário Oficial.

Maduro governa sob o estado de exceção, apesar da rejeição do Parlamento (dominado pela oposição), devido ao aval do Supremo Tribunal de Justiça, cujos membros são ligados ao chavismo.

A Venezuela atravessa uma profunda crise econômica, com escassez de alimentos e remédios, e uma inflação estimada pelo FMI em 720% para 2017.

AFP

 AFP