Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(17 jul) O secretário-geral do Comitê Organizador dos Jogos cumprimenta o vice-presidente do Comitê Olímpico da Coreia do Norte, em Panmunjom

(afp_tickers)

A Coreia do Norte ameaçou nesta sexta-feira boicotar os Jogos Asiáticos, que serão realizados em setembro na Coreia do Sul, depois de acusar Seul de ter provocado deliberadamente a ruptura do diálogo sobre a participação de Pyongyang, que foi retomado após cinco meses de interrupção.

Os Jogos, programados de 19 de setembro a 4 de outubro na cidade portuária de Incheon, deveriam marcar a primeira participação da Coreia do Norte em uma competição esportiva internacional organizada no Sul em mais de uma década.

Em Panmunjim, na zona desmilitarizada entre os dois países, as delegações se levantaram da mesa sem fixar uma nova data para se reunir.

"O Sul rompeu o diálogo ao apresentar demandas absurdas", segundo a agência oficial norte-coreana KCNA, contradizendo os acordos anteriores, sobretudo em relação ao número de atletas e animadoras que Pyongyang planejava enviar e o tamanho da bandeira norte-coreana nos Jogos.

A atitude da Coreia do Sul constitui um ato deliberado para atrapalhar os contatos, afirma a KCNA, acrescentando que a Coreia do Norte "demonstrou claramente que se os representantes do Sul mantiverem esta atitude provocadora, reconsiderarão sua participação nos Jogos".

Seul não fez nenhum comentário oficial, mas um dos representantes, de forma anônima, descreveu o ato como saída unilateral.

"Nunca levantamos um problema quanto ao número, simplesmente queríamos saber a diferença entre oficiais e acompanhantes", explicou à imprensa, antes de declarar que "a Coreia do Norte deforma os fatos como técnica de negociação".

Pyongyang boicotou os Jogos Olímpicos de Seul-1988, mas enviou uma delegação de atletas e acompanhantes aos Jogos Asiáticos de 2002 em Busan, na Coreia do Sul.

AFP