AFP

Foto divulgada em 28 de maio de 2017 pela Agência de Notícias Norte-coreana (KCNA) mostra o líder norte-coreano, Kim Jong-Un (C, de blusa branca) acompanhando o teste de um sistema antimíssil teleguiado, organizado pela Academia de Ciência de Defesa Nacional, em local não informado

(afp_tickers)

A Coreia do Norte confirmou ter realizado um teste de míssil balístico e informou que foi bem sucedida, indicou nesta terça-feira a agência oficial KCNA após a queda deste foguete na véspera no Mar Mediterrâneo.

O líder norte-coreano, Kim Jong-Un, "dirigiu" o lançamento - o terceiro teste de míssil feito pelo regime de Pyongyang em menos de três semanas - em um novo desafio às ameaças de novas sanções pela ONU e advertências americanas sobre uma possível ação militar.

"O foguete balístico voou até o leste, onde nasce o dia, e impacto corretamente o ponto desejado após voar a metade da distância de seu alcance", indicou a agência oficial norte-coreana.

Fontes militares sul-coreanas tinham indicado que o míssil, de tipo Scud, percorreu 450 km rumo ao leste antes de cair no mar. O Japão informou, por sua vez, que o projétil caiu dentro de sua zona econômica exclusiva que se estende até 200 milhas náuticas de sua costa.

O disparo do míssil provocou uma condenação enérgica do presidente americano Donald Trump. O chefe de Estado informou que o lançamento foi uma falta de respeito com relação à China, o principal aliado de Pyongyang, que tenta dissipar as tensões geradas pelas aspirações nucleares de seu vizinho.

Pacotes sucessivos de sanções da ONU foram, até o momento, infrutíferos para deter as ambições do regime comunista norte-coreano, que diz querer desenvolver um míssil balístico intercontinental capaz de impactar com uma ogiva nuclear o território continental dos Estados Unidos.

AFP

 AFP