Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A Coreia do Sul terminou na liderança da classificação por equipes da 58ª Olimpíada Internacional de Matemática

(afp_tickers)

A Coreia do Sul terminou na liderança da classificação por equipes da 58ª Olimpíada Internacional de Matemática, que nesta semana reuniu mais de 600 jovens participantes de 111 países no Rio de Janeiro, com forte domínio asiático.

Os sul-coreanos levaram seis medalhas de ouro, à frente da China (cinco de ouro e uma de prata) e do Vietnã (quatro de ouro, uma de prata e uma de bronze). Os Estados Unidos ficaram em quarto lugar.

O torneio aconteceu de segunda-feira a sábado em um hotel do Rio, cidade que há um ano viu brilhar a elite do esporte mundial nos Jogos Olímpicos.

A Argentina, melhor equipe latino-americana, ficou na 26ª posição, quatro a mais do que o Peru e 11 a mais do que o Brasil, país organizador.

A competição foi marcada pela participação do filho mais velho do presidente sírio Bashar al-Assad, Hafez al-Assad, de 15 anos, que ficou na 528ª colocação da classificação geral individual.

A 58ª Olimpíada Internacional de Matemática começou na segunda-feira com um minuto de silêncio em homenagem à iraniana Maryam Mirzakhani, que faleceu no sábado aos 40 anos, nos Estados Unidos, por conta de um câncer de pulmão.

Mirzakhani foi em 2014 a primeira mulher a ganhar a medalha Fields, outorgada pelo Congresso Internacional de Matemáticos e considerada o Prêmio Nobel da disciplina. Em 1994 e 1995 venceu a Olimpíada Internacional.

Um troféu em homenagem à matemática iraniana, e dedicado especialmente às meninas, premiará as cinco estudantes "que mais contribuíram com o resultado de suas equipes", informou o Instituto de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), que organizou o evento no Rio.

AFP