AFP

Em foto divulgada pela RFI, mostra Ahmed Abba, no dia 30 de julho de 2016

(afp_tickers)

O correspondente da Rádio France Internationale (RFI) no Camarões Ahmed Abba foi condenado à prisão por "não denunciação de atos de terrorismo e cumplicidade em atos de terrorismo" pelo tribunal militar de Iaundê.

O jornalista foi condenado a "dez anos de prisão em regime fechado com mandado de detenção na audiência (...) e a pagar 55.726325 francos CFA (cerca de 85.000 euros)", declarou o presidente do tribunal, acrescentando que o agora condenado poderá passar mais cinco anos atrás das grades se não pagar a multa.

"Ahmed Abba é declarado inocente de apologia do terrorismo, (mas) culpado de não denunciação de atos de terrorismo e de cumplicidade em atos terroristas", acrescentou.

A Promotoria havia pedido prisão perpétua para o réu. Seus advogados já anunciaram que vão apelar da sentença.

"A RFI está consternada com o veredito do tribunal militar de Iaundê", indicou a rádio, muito ouvida na África, em um comunicado, acrescentando que "nenhuma prova foi levada à audiência".

"Esta condenação é apenas mais uma a um jornalista que exerceu sua profissão", completou a emissora.

A Anistia Internacional denunciou "um julgamento injusto", chamando-o de "uma paródia da Justiça".

Correspondente da Rádio France Internationale no norte do Camarões, região alvo dos atentados do grupo Boko Haram, Ahmed Abba foi detido no final de julho de 2015 em Marua, no extremo norte do país.

AFP

 AFP