Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Bandeira chilena em rua de Santiago, no dia 10 de junho de 2015

(afp_tickers)

Uma Corte de Apelações chilena ordenou a restituição à família do ex-ditador Augusto Pinochet de bens por aproximadamente 4,8 milhões de dólares, embargados com base em uma investigação por malversação de recursos públicos, informou o Poder Judiciário nesta quarta-feira.

Em decisão sem consenso, à qual ainda cabe recurso, o tribunal chileno ordenou "devolver o dinheiro e os bens apreendidos à família de Augusto Pinochet Ugarte", por um montante de aproximadamente 4,89 milhões de dólares, que permaneciam embargados pela justiça desde o chamado 'Caso Riggs', em 2004.

O montante a ser devolvido aos herdeiros do ex-ditador chileno (1973-1990) compreende 24 propriedades, três veículos e sete contas bancárias, detalhou a decisão.

Na mesma sentença foram absolvidos seis oficiais reformados do Exército por sua responsabilidade no crime de malversação de dinheiro público, revogando um decisão do juiz Manuel Valderrama em 2013.

Valderrama condenou os oficiais que serviram na Casa Militar chilena e que teriam ajudado Pinochet a esconder parte de sua fortuna no banco Riggs dos Estados Unidos.

AFP